quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Vereadores de Foz do Iguaçu presos recebiam 'mensalinho', afirma PF

Resultado de imagem para 11 vereadores presos fotos

Os vereadores de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, presos durante a 5ª fase da Operação Pecúlio, deflagrada nesta quinta-feira (15), recebiam uma espécie de “mensalinho” em troca de apoio na votação de projetos do Executivo, afirma a Polícia Federal. No total, 12 dos 15 vereadores da cidade foram presos durante a ação.
Os parlamentares e outros agentes políticos e empresários também presos na Operação “Nipoti” – uma referência a nepotismo - são investigados ainda por supostas indicações de familiares para serem contratados por empresas da cidade ou ocuparem cargos em comissão na Prefeitura de Foz do Iguaçu.
A existência do “mensalinho” e das indicações para emprego já havia sido indicada por réus da Operação Pecúlio que assinaram acordo de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF).
Segundo a PF, dez vereadores foram presos preventivamente, quando não há prazo definido para que os investigados deixem a prisão, e dois temporariamente por cinco dias, podendo ser a prisão prorrogada por mais cinco dias ou convertida em preventiva. Com as prisões, a sessão desta sexta-feira na Câmara Municipal, que seria a última ordinária do ano, foi adiada por falta de quórum e reconvocada para terça-feira (20).

Foram presos os vereadores:

Beni Rodrigues (PSB) - prisão temporária
Zé Carlos (PMN) - prisão temporária
Anice Gazzaoui (PTN) - prisão preventiva
Darci "DRM" (PTN) - prisão preventiva
Edílio Dall’Agnol (PSC) - prisão preventiva
Fernando Duso (PT) - presidente da Câmara - prisão preventiva
Hermógenes de Oliveira (PSC) - prisão preventiva
Luiz Queiroga (DEM) - prisão preventiva
Marino Garcia (PEN) - prisão preventiva
Coquinho (SD) - prisão preventiva
Paulo Rocha (PMDB) - prisão preventiva
Rudinei Moura (PEN) - prisão preventiva

Informações do G1 

Nenhum comentário: