quinta-feira, 18 de maio de 2017

'A gente mata ele antes de fazer delação', disse Aécio sobre primo


O empresário Joesley Batista, dono da JBS, prestou depoimento e revelou que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) pediu R$ 2 milhões ao empresário, para pagar sua defesa na Lava Jato.
O delator entregou à PGR uma gravação da conversa, que dura meia hora e foi feita no dia 24 de março, em São Paulo.
De acordo com as informações, Aécio pedia dinheiro para o empresário com o objetivo de pagar o criminalista Alberto Toron. Joesley aceitou o pedido de Aécio e questionou quem seria a pessoa encarregada de pegar a mala com o dinheiro. "Se for você a pegar em mãos, vou eu mesmo entregar. Mas, se você mandar alguém de sua confiança, mando alguém da minha confiança", propôs Joesley ao senador.
Aécio respondeu: "Tem que ser um que a gente mata ele antes de fazer delação. Vai ser o Fred com um cara seu. Vamos combinar o Fred com um cara seu porque ele sai de lá e vai no cara. E você vai me dar uma ajuda do caralho".
O jornal O Globo destaca que Fred é Frederico Pacheco de Medeiros, seu primo. Ele foi preso nesta quinta-feira (18) durante Operação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal. Além de Fred, a irmã do senador Aécio Neves, Andrea Neves, foi presa em Nova Lima, região metropolitana de Belo Horizonte.
O colunista Lauro Jardim, do jornal O Globo, Aécio falou em 'tom galhofeiro sobre a possibilidade de matar seu primo'. 
A Procuradoria-Geral da República já pediu a prisão do senador Aécio Neves (PSDB-MG) ao Supremo Tribunal Federal. No entanto, o ministro Edson Fachin ainda não autorizou a medida, mas já determinou o afastamento do senador. A decisão da prisão de Aécio deve ser decidida em plenário do STF ainda nesta quinta (18).

Noticias ao minuto

Nenhum comentário: