domingo, 3 de setembro de 2017

Parentes e amigos de PMs mortos no Rio protestam neste domingo

Ato no Aterro do Flamengo protesta contra morte de policiais militares no Estado do Rio (Foto: Carlos Brito / G1)

Parentes e amigos de policiais assassinados no Rio este ano fazem, na manhã deste domingo (3), um ato ecumênico no Aterro do Flamengo, na Zona Sul da cidade. Cerca de 100 pessoas participavam do ato por volta de 10h50.
Dois dias antes, o sargento Lúcio Ferreira de Santana, de 41 anos, foi o 101º PM morto no Estado em 2017.
A marca de 100 PMs mortos foi atingida no dia 26 de agosto. O número indica que um policial é morto a cada 57 horas, ou pouco mais de dois dias. A média é a maior desde 2006, quando um policial foi assassinado a cada 53 horas.
Em média, um policial morreu a cada 64 horas no Rio desde 1995, somando 3.087 vítimas durante este período. Essa é a conclusão feita a partir de estatísticas da Polícia Militar a que o G1 teve acesso. A taxa de mortalidade entre 1995 e 2016, segundo a PM, é maior do que a de soldados americanos na Segunda Guerra Mundial.

Nenhum comentário: