segunda-feira, 30 de abril de 2018

Em defesa de Lula, centrais sindicais realizam ato do Dia do Trabalho

Em defesa de Lula, centrais sindicais realizam ato do Dia do Trabalho

Sete centrais sindicais do país incluirão às reivindicações do Dia do Trabalho a libertação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba desde o dia 7 de abril. Um ato unificado será realizado na capital paranaense nesta terça-feira (1), a partir das 14h, em defesa do petista e da sua participação nas eleições deste ano.
As centrais participantes são: CUT (Central Única dos Trabalhadores), Força Sindical, UGT (União Geral dos Trabalhadores), CTB (Central dos Trabalhadores e Trabalhadores do Brasil), Nova Central, CSB (Central dos Sindicatos do Brasil) e Intersindical.
O ato será realizado na praça Santos Andrade, no centro de Curitiba, com shows de artistas como Beth Carvalho, Ana Cañas e o rapper Renegado. A partir das 16h, começam os discursos políticos. Movimentos sociais como MST, MTST, UNE e Central de Movimentos Populares também confirmaram presença.
Na página oficial, a CUT afirma que Lula é "mantido como preso político" e que elegê-lo para a Presidência "é a chance que a classe trabalhadora tem de conseguir resgatar direitos perdidos nos últimos anos".
O deputado federal Paulo Pereira da Silva (SD-SP), conhecido como Paulinho da Força, afirma que a pauta única dos movimentos continua a ser a questão do emprego e contra as reformas trabalhista e da Previdência.
Segundo ele, o ato na capital paranaense será contra a prisão em segunda instância, mas "vai acabar virando um ato pró-Lula", o que ele diz não ter problema nenhum.
A CSP Conlutas não aderiu à mobilização unificada em defesa de Lula e fará atos pelo país e nas periferias de São Paulo contra as reformas do governo de Michel Temer e a violência da Polícia Militar contra pobres e negros.  Noticias ao minuto

Nenhum comentário: